ANTES DE LER É BOM SABER...

Este blog - criado em 2008 - não é jornalístico, embora contenha alguns conteúdos que navegam levemente nessas águas. Os textos são de autoria de Luís Carlos Freire, o qual descende do mesmo tronco genealógico da escritora Nísia Floresta. Esse parentesco ocorre pela parte das raízes da mãe do autor deste blog, Maria José Gomes Peixoto Freire, neta de Maria Clara de Magalhães Fontoura, trineta de Maria Jucunda de Magalhães Fontoura, descendente do Capitão-Mor Bento Freire do Revoredo e Mônica da Rocha Bezerra, dos quais descende a mãe de Nísia Floresta, Antonia Clara Freire. Essas informações são encontradas no livro "Os Troncos de Goianinha", de autoria de Ormuz Barbalho Simonetti, um dos maiores genealogistas brasileiros. O referido livro pode ser pesquisado no Museu Nísia Floresta, no centro da cidade. Luís Carlos Freire é especialista na obra de Nísia Floresta, membro da Comissão Norte-Riograndense de Folclore, sócio da Sociedade Científica de Estudos da Arte e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Possui trabalhos científicos sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, publicados nos anais da SBPC, Semana de Humanidade, Congressos etc. É autor de 'História do Município de Nísia Floresta', 'Cultura Popular em Nísia Floresta', 'A linguagem Popular em Nísia Floresta', dentre inúmeros trabalhos na área de história, lendas, costumes, tradições etc. Uma pequena parte das referidas obras ainda não estão concluídas, mas o autor entendeu ser útil disponibilizá-la neste blog, enquanto as conclui. Algumas são inéditas. O acesso permite aos interessados terem ao menos uma boa noção daquilo que buscam, até porque existem situações em que certos assuntos não são encontrados nem na internet nem em outro lugar. Algumas pesquisas são fruto de longos estudos, alguns até extensos e aprofundados, pesquisados em arquivos de Natal, Recife, Salvador e na Biblioteca Nacional no RJ. O autor estuda a história e a cultura popular da Região Metropolitana do Natal. Esse detalhe permitirá ao leitor encontrar informações históricas sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, sobre o município homônimo, situado na Região Metropolitana de Natal/RN, além de crônicas, artigos, fotos poemas, etc. É PERMITIDO COPIAR TEXTOS DESTE BLOG, DESDE QUE A AUTORIA SEJA MENCIONADA. OBS. Só publico comentários que contenham nome completo, e-mail e telefone, pois repudio anonimato.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Criança é deixada em cela de presídio com presidiário estuprador

Esse episódio da criança que foi deixada pelos pais numa cela de presídio – pasmem - sob a "guarda" de um estuprador amigo dos ditos pais – e que abalou o Brasil, é um dos fatos mais estapafúrdios que já vi. Chega a dar um nó na cabeça.
As cidades interioranas de diversos estados brasileiros, colecionam casos de prostituição infantil, seja a olhos nus ou de maneira velada. O fato, de tão comum, torna-se "invisível".
https://extra.globo.com/casos-de-policia/menino-de-12-anos-encontrado-debaixo-de-cama-em-cela-de-presidio-no-piaui-rv1-1-21901853.html

No bojo desses casos, há famílias que sabem dos relacionamentos de suas filhas menores com fazendeirões, madeireiros, grandes empresários, ou por outras águas, de meninos que conseguem trocados transando com homossexuais com idade de serem seus pais (não entendam como homofobia; refiro-me a pedofilia, a qual também é praticada por homossexuais). É só dar uma visualizada no cenário de sua cidade. Se não tiver, a internet traz incontáveis casos do tipo.
Embora não se justifica, em ambos os casos, o que pesa é a barriga vazia, ou seja, a miséria. Pais e familiares preferem fazer vistas grossas, mesmo ignorando a monstruosidade dos fatos, os riscos psicológicos, as doenças e tudo mais a que os filhos estão sujeitos no futuro, pois o que vale mesmo é o dinheiro que entra e serve para por comida dentro de casa.
É a miséria cantando a sua música mais triste, sob os arranjos da fome. Há casos de figurões, como políticos, pessoas influentes etc, que praticam suas perversões e a própria sociedade finge que não vê. É uma pena!
O caso desse menino, que por sorte, ainda não havia sido molestado, pois foi encontrado poucas horas depois, é algo incompreensível. Ele estava na cela para ser seviciado a troco de dinheiro? Ou era porque o presidiário tinha carinho pela criança e queria a sua companhia?
Fica a “dúvida”.
Seja o que for, o que acontece de ruim a uma criança deve ser minuciosamente investigado. Sou daqueles brasileiros que aguardo os resultados de barbaridades como essa. As consequências para vítimas de pedofilia e mesmo para prostitutas (incluindo as de maior idade) são deploráveis.


Das janelas laterais....

Na "boca da noite", às dezoito e trinta horas a lua aparece, como se nascesse dentro do rio Potengi.
Essas fotografias foram feitas ao longo de 12 meses. Nessas observações, que ocorreram de maneira muito espontânea, constatei que o sol e a lua apresentam fenômenos interessantes durante um período do ano. 
Durante seis meses o sol se põe exatamente no local onde o rio Potengi desaparece (na fotografia, obviamente). N'outro semestre o sol se põe sobre a CBTU, na extrema direita da imagem, já no final da imagem.
O sol se preparando para desaparecer logo acima da estação de Term da CBTU. Isso ocorre durante um semestre.
Com a lua o fenômeno é parecido, refiro-me a partir de quando ela passa a ser vista a olhos nus, na boca da noite, e quando se esvai, às quatro e meia da manhã. Ela ocupa exatamente o lugar ocupado pelo sol, mas vai "subindo" lentamente até desaparecer.
Cada dia um quadro diferente aparece... Realmente a natureza é perfeita...


A lua "subindo para as galáxias" às quatro e meia da manhã.


 A lua se dissipando no céu lilás às cinco horas da manhã
O por do sol acontecendo sobre a Estação de trem da CBTU. Observe que, nesse ponto, ele se aproxima do Porto do Natal, seu ponto máximo.